Vem a presente publicação, composta em torno da escrita para a infância e a juventude de Ana Saldanha (Porto, 1959), dar continuidade ao conjunto de volumes que, ao longo dos últimos oito anos, ou seja, desde 2011, têm conformado a colecção «Vozes e rostos da literatura infanto-juvenil portuguesa», a saber: Vergílio Alberto Vieira: entre a tradição e modernidade (2011); Luísa Ducla Soares: uma escrita lúdica, livre e crítica (2012); Coisas que não há: sobre a escrita de Manuel António Pina (2013); A morada das palavras. Leituras da obra infantojuvenil de António Mota (2014); A escrita para a infância de João Pedro Mésseder ou como trocar as voltas ao silêncio (2015); Estes livros que nós escolhemos: contributos para a leitura da obra infantil e juvenil de Alice Vieira (2016); Contar de novo: a escrita para a infância de António Torrado (2017); e José Jorge Letria e os seus livros livres para a infância e a Juventude (2018). Este é, portanto, o nono volume de uma série com a qual intentamos revisitar, interpretar e também homenagear a obra de autores fundamentais da Literatura Portuguesa para a Infância e Juventude, de nomes cuja presença na História desta Literatura é incontornável. 

Neste volume, que, com muito gosto, organizamos, coligem-se estudos distintos que possibilitam um regresso à obra de Ana Saldanha, procurando a divulgação de um conjunto de olhares, diversamente lançados por diferentes investigadores3 sobre uma escrita que Natércia Rocha considerou ter tido uma «estreia auspiciosa» (Rocha, 2000: 136) e cujo estilo apelidou de «preciso, quase geométrico» (idem, ibidem: 136). Esta foi/é, pois, uma oportunidade de conhecermos mais e melhor a obra de Ana Saldanha, autora que, com o espírito e a graça que tão bem a singularizam, afirma: «A minha vida, a vida das pessoas que conheço bem ou mal, das que vejo num autocarro ou sentadas à mesa de um café transformo-as em vidas de “Era uma vez (ou duas ou três, porque a repetição é um factor esencial da narrativa). “E viveram felizes – felizes ou infelizes – para sempre” para ser “Viveram felizes – felizes ou infelizes – no livro até o fecharem, na cabeça de quem o leu até essa ocupação clandestina terminar com o esquecimento ou novos inquilinos.”» (Saldanha, 2008: 123-137). Que venham, pois, novos inquilinos concebidos por Ana Saldanha – é o que desejam organizadores e colaboradores deste volume.  
[Introdução]

ANA SALDANHA

7,50 € Preço normal
6,00 €Preço promocional
  • Sara Reis da Silva & João Manuel Ribeiro (organizaram)

    Ano: 2019
    Formato: 12,5cm x 20,5cm
    Nº de páginas: 104
    ISBN: 9789898582836

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter ícone social
  • LinkedIn ícone social
  • YouTube

Trinta Por Uma Linha - (escritório) Largo Eng. António de Almeida, 30, 3.º Andar - Sala DD3 - 4100-065 Porto

NIF 508381037

geral@trintaporumalinha.com